quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

Tudo, nada....eu!


Porque o tudo, ás vezes me parece estranho...
Porque o tudo, ás vezes me parece deslocado...
Porque o tudo, ás vezes me parece fora do sentido...
Porque o tudo, ás vezes me parece excessivo...
Porque o tudo, ás vezes não vale nada...
Porque ás vezes o nada, é mais reconfortante...
Porque ás vezes o nada, me parece mais lógico...
Porque ás vezes o nada, se parece comigo...
Porque ás vezes o nada, me entende...
Porque ás vezes o nada...sou eu...

Eu...sou o nada e o tudo que me rodeia...
Eu...sou para mim, tudo aquilo que desejo ser...
Eu...sou o ser dispensavel da terra...
Eu...desejo o impossivel...
Eu...sonho o impensavel...
Eu...quero o inatingivel...
Eu...penso o proibido...
Eu.
Eu..
Eu...
Afinal....o que sou EU? =S...

O silêncio é o som estridente daquilo que nao existe...

Toda a minha essencia é esse som tao existencial do inexistente...

Todo o meu eu é o nada que existe á minha volta que provoca um som grutescamente mudo....


As três mosqueteiras? está no ar! =)

9 comentários:

Pinto disse...

Passei, li e gostei muito.

Vou ser um leitor diário.

Beijinhos

Intermitências de Ecos disse...

O tudo, o nada... o silêncio: o meu triângulo.

Gostei, Mé :)

Mosqueteiras... no ar! :D

Marcos Satoru Kawanami disse...

Parece que tu és Heideggeriana de carteirinha, ou melhor, leu Jean-Paul Sartre desde criancinha, não é? Essa parada do Nada...
Originalidade ao colorir de vermelho o TUDO, e de branco o NADA: eu senti desde o primeiro verso o peso e a retumbância do teu Tudo, e, depois, a glacialidade do teu Nada.
Tens talento, rapariga. Avante!

Marcos Satoru Kawanami disse...

"Quer pouco: terás tudo.
Quer NADA: serás LIVRE."

Fernando Pessoa


...
beijó(K)awanami

Marcos Satoru Kawanami disse...

Depois da tua explanação, valorizei mais ainda teu poema; tem cunho espiritual, daí eu lembrar dos versos daquele teu compatriota, o Pessoa.
^^

Luna Luna disse...

Olá, obrigada pela passagem no meu estaminé e por te tornares numa seguidora!:D Vim cá retribuir a visita e adorei o teu blog!Quando tiver um pouquinho mais de tempo vou examinar tudo melhor, pois tem coisas escritas, que parecem escritas por mim!Beijos

Pinto disse...

Tens um selo para ti no meu blog.

Beijinhos

Prisioneira de Sonhos disse...

Fantástico mosk... tá como sempre - tocante - esse texto!!!

Desculpa andar metida comigo mas são fazes (bateram-me no carro lolol isso afectou-me as arestas mas tou sã e salva!!!)... Estou de volta com todo o meu apoio...

Não digas a ninguém mas ouvi dizer

"QUE AS MOSKETEIRAS ANDAM NO AR"!!!


BEIJO BEIJO BEIJO = ***

"always present for you"

Marcos Miorinni disse...

O silêncio é o som estridente daquilo que nao existe...

Marta medeiros disse certa vez:
" É quando ninguém bate à nossa porta,não há emails na caixa de entrada não há recados na secretária eletrônica e mesmo assim, você entende a mensagem. "

belo post,
abraço das letras
Marcos