quinta-feira, 16 de outubro de 2008

momentos dificeis

O tema do post anterior foi retirado, por motivos da autora não se sentir satisfeita..


seja como for...



Hoje a caminho de casa, vim a pensar numa coisa, que me tem atormentado.

Porque é que quando temos uma relação perfeita com alguém, intima, de amizade e cumplicidade, p-e-r-f-e-i-t-a mesmo, temos mesmo assim a tendência em procurar nos outros, sinais de atracção, de interesse? Será que não nos basta termos alguém que nos conhece, que nos ama, ou também temos a necessidade egoista de sentirmos o ego a aumentar por sabermos que para outras pessoas ainda conseguimos ser interessantes e atraentes?

Não sou diferente desse tipo de gente, que não é tão pouca assim, mesmo que se queira negar, somos todos feitos da mesma matéria, uns conseguem é esconde-la melhor.

Somos ums espécie tão narcisista que precisa de sentir que consegue sempre que quiser despertar a atenção de alguém?

Somos sedentos de atenção, o que na verdade é a base da nossa vida, se ninguém reconhecer de alguma forma que existimos e que temos valor em alguma coisa, então é como se não existissemos.


Ultimamente tenho andado aborrecida o que me leva a pensar que talvez entrar para a faculdade tenha tido um efeito em mim muito maior do que estava à espera.

A fase de adaptação ainda não acabou, e o stress aumenta Ontem no teatro tive uma crise de choro em que o catalizador foi não querer por a porcaria de um livro na cabeça para ajudar no equilibrio (estupida -.-'), claro que a razão de chorar não foi essa, foi apenas a explosão de algo que não conseguia encher mais, e o livro na cabeça foi mesmo a goticula de água que faltava. Já não me bastava não ter tempo para mim, ter que ler textos de não sei de quem, tirar fotocopias, correr para apanhar 2 transportes, arrumar o quarto, tratar de uma tartaruga doente, lidar com pais conservadores e ter tempo para o namorado, ainda tinha que por um livro na cabeça "para treinar o equilibrio". -.-

Não sou de ferro, mas quem o é?


Disposição: stressarada!


bem fico-me por aqui...=)

xOxO


1 comentário:

Intermitências de Ecos disse...

Olá! :) Como vim aqui ter é obvio, e desde já, agradeço a visita! [Suponho que chegaste lá através do livro Estranha Ternura, eheh] ;)

Bem, quanto ao que escreveste, só posso dizer que te entendo! Consegui entrelaçar-me aqui :)

Tudo o que temos parece sempre tão pouco, ou se nos parece o suficiente, a nossa 'ganância' leva-nos a querer mais. Sim, somos seres egoístas, narcisistas e poucos ou nenhuns fogem à 'norma', à necessidade do amor próprio aumentar a cada passo, já nem tanto pela necessidade de elevar o ego ou saciar a carência, mas sim, porque tudo isso se tornou num ciclo vicioso! É um jogo, onde podemos cunhar-nos aqui e ali, neste e naquele... uma sensação de bem estar em que o orgulho e a afirmação são os aliados dessa jogada.

Se não és de ferro, eu também não o sou... [re]Lembra-te, "somos todos feitos da mesma matéria"! ;)

:) **